Início
ACADEMIA PERNAMBUCANA DE CIENCIA AGRONOMICA PDF Imprimir E-mail

 REPOSITÓRIO DE SABERES,  INOVAÇÃO E  RENOVAÇÃO

 Conceição Martins

Rememorar é sempre muito bom, especialmente quando trazemos à lembrança fatos de importância singular, tal qual o que narramos a seguir: “Às vinte horas do dia trinta e um de maio, do ano de mil novecentos e oitenta e quatro, no Auditório da Academia Pernambucana de Letras, situada na Av. Rui Barbosa, nº 1596, em Ponte D’Uchoa, Município do Recife, Estado de Pernambuco, teve início a cerimônia de instalação solene da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, criada em 30 de setembro de 1983, por ocasião do XIII Congresso Brasileiro de Agronomia, realizado no Centro de Convenções de Pernambuco, Município de Olinda, Estado de Pernambuco, tendo como Presidente o Acadêmico Eudes de Souza Leão Pinto”.

Assim tem início a Ata de Instalação dessa renomada Entidade e, seguindo o pensamento de Machado de Assis de que os fatos e os tempos ligam-se por fios invisíveis, é dessa forma que voltamos no tempo para retomar o ponto de origem da História desta tessitura. Era o ano de 1973, e ocorria o Congresso Brasileiro de Agronomia, realizado em Curitiba, Paraná. Naquela ocasião, o Engenheiro Agrônomo Eudes de Souza Leão Pinto, em nome da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Pernambuco, propôs a criação da Academia Brasileira de Agronomia, que foi aprovada por unanimidade na Comissão de Estudos e no Plenário do Congresso. No entanto, os anos se passaram, outros enclaves Agronômicos foram realizados e a Academia Brasileira não foi efetivada.

Por ocasião do XXIII Congresso Brasileiro de Agronomia, realizado no período de 26 a 30 de setembro de 1983, no Centro de Convenções em Olinda, Pernambuco, o incansável Engenheiro Agrônomo Eudes de Souza Leão Pinto, dirigindo-se à plenária, mais uma vez  justificou a necessidade da criação de uma Academia para a área da Ciência Agronômica. Relembrando sua proposta apresentada há uma década, ratificou, porém, que, nessa ocasião, defendia a criação de uma Academia local, pernambucana. Em 30 de setembro de 1983, ocorreu a apresentação oficial dessa novel Entidade ao plenário do Congresso, recebida com uma salva de palmas. Aprovada, com o aval da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Pernambuco e o apoio dos congressistas presentes ao Evento, foi criada a Academia Pernambucana de Ciência Agronômica (APCA), como Instituição pioneira em território nacional.

Posteriormente, durante solenidade realizada no Salão Nobre da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), no dia 13 de janeiro de 1984, para a outorga do Mérito Agronômico ao Engenheiro Agrônomo João de Vasconcelos Sobrinho pela Federação das Associações dos Engenheiros Agrônomos do Brasil (FAEAB), o presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Pernambuco, o Engenheiro Agrônomo Carlos Eduardo Ferreira Pereira anunciou a constituição da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, proclamando os nomes dos Patronos das 25 Cadeiras criadas e dos 11 primeiros Acadêmicos integrantes do núcleo constitutivo. Ainda durante essa solenidade, foi aprovada a indicação do Dr. Eudes de Souza Leão Pinto para o cargo de presidente, Dr. Pedro Paulo Falcão de Carvalho e Dr. Carlos Eduardo Ferreira Pereira para 1º e 2º vice-presidentes, ficando os demais cargos para posteriori.

Nessa trajetória histórica, a 1ª reunião ordinária da Academia aconteceu em 14 de fevereiro daquele ano, na Reitoria da UFRPE, voltando a acontecer mensalmente sempre no campus dessa Universidade, da qual tem orgulho de ser parceira. Desde 2005, a APCA está situada no Núcleo do Conhecimento Prof. João Baptista Oliveira dos Santos da Biblioteca Central da UFRPE, no campus de Dois Irmãos, na Cidade do Recife. Tem como lema: ORA ET LABORA PRO AGRONOMICA SCIENTIA – Ora e trabalha pela Ciência Agronômica –, “cujas raízes provem do laborioso e clarividente esforço da Ordem Beneditina em valorizar a Agricultura e promover o desenvolvimento da Ciência Agronômica”, afirma o presidente Eudes de Souza Leão Pinto.

A Academia foi renovada ao longo dos anos, sendo hoje composta por 30 Patronos e 30 Acadêmicos, e constitui um nicho de cabeças pensantes dotado de Mãos que semeiam e colhem, com corações apaixonados pela causa Agronômica, através do intercâmbio e integração de ideias, agregado à avaliação do progresso e dos resultados dos desenvolvidos na área social, administrativa e econômica, propiciados pela Agronomia. Tem como publicação principal os ANAIS DA APCA, seguidos pelas Plaquetas Comemorativas das Solenidades Anuais em Homenagem aos Engenheiros Agrônomos formados há 50, 55, 60 e 65 anos pela Escola Superior de Agricultura, atual Universidade Federal Rural de Pernambuco. Está sendo agendado para o 2º semestre o lançamento do volume 7 dos ANAIS DA APCA, a COLEÇÃO MEMORIAL BIOGRÁFICO DOS ACADÊMICOS DA APCA e COLETÂNEAS DE DISCURSOS DOS PATRONOS E ACADÊMICOS.

Na tessitura dessa História em 2011, durante a passagem dos seus 28 anos de criação e 27 anos de instalação, a ACADEMIA PERNAMBUCANA DE CIÊNCIA AGRONÔMICA tem a honra de anunciar que, simbolicamente, doou sua semente ao criar a ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIA AGRONÔMICA!

Conceição Martins é Bibliotecária da Biblioteca Central da UFRPE, MsC em Comunicação e Sócia Benemérita da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica. Este endereço de e-mail está sendo protegido de spam, você precisa de Javascript habilitado para vê-lo

 
< Anterior   Próximo >
APOIO CULTURAL Apoio Cultural
PARCEIROS Parceiros

Usuários On-line

© 2017 APCA | Academia Pernambucana de Ciencia Agronomica

Webmaster: